Como Confortar Alguém de Luto?

Como Confortar Alguém de Luto?

Falar sobre perda não é algo fácil, não é mesmo? O luto é uma experiência complexa – mesmo quando não somos nós que estamos enlutados, mas alguém que gostamos. Como confortar alguém de luto, o que dizer nesse momento, como ser alguém útil (mas não invasivo)… São várias questões que podem surgir quando vemos alguém de que gostamos vivendo o luto.

Para transformar os momentos de luto em algo menos traumático ou desconfortável, além de acalentar o coração de quem vive a perda, é possível agir de formas simples, mas repletas de significado.

No nosso texto de hoje, falamos sobre como confortar alguém de luto e como ser um ponto de suporte e apoio para amigos, familiares ou conhecidos que estejam vivendo uma perda.

Evite clichês

Por mais que possa parecer difícil fugir de alguns questionamentos que vêm praticamente de forma instantânea na mente de uma pessoa. Busque evitar certos tipos de perguntas e os famosos clichês.

Um simples “como você está?” pode estar carregado de carinho da parte de quem fala, mas a resposta é óbvia e tem poder de aumentar ainda mais os níveis de sofrimento. Afinal, você já sabe que aquela pessoa não está nada bem.

Além da tradicional dúvida sobre processos, o estado emocional, fuja também de outros questionamentos e expressões, além de pedir muitos detalhes sobre o óbito:

  • Agora é bola pra frente!;
  • Infelizmente, já estava na hora dele(a)…;
  • Eu vivi um caso muito pior;
  • Ele(a) está em um lugar melhor;
  • Nossa, mas ele(a) estava bem de saúde!;
  • Não chore, ele(a) não gostaria de te ver assim.

Não faça comparações, não é sobre você

Outra coisa que podemos fazer – mesmo que sem maldade, mesmo que sem perceber – é comparar a dor da pessoa enlutada com a nossa e cair no campo das comparações.

Mesmo que com boas intenções, comentários como “eu sei como é…”, “quando eu perdi tal pessoa, eu…” não são as melhores maneiras de confortar alguém de luto. Mesmo que a intenção não seja ruim, este tipo de frase acaba por deslocar aquela situação da experiência da pessoa que está sofrendo para você, que quer ajudar, e pode acabar machucando.

Dar espaço para a pessoa falar sobre como está sendo para ela é (quase) sempre uma ideia melhor do que fazê-la ouvir sobre como foi para você.

Ações, muitas vezes, valem mais do que palavras

Oferecer ajuda ou perguntar “como posso ajudar” não é necessariamente ruim, mas oferecer algo específico é melhor do que oferecer algo genérico.

Lembre-se que para muitas pessoas aceitar ajuda não é fácil. Isso acontece pode acontecer por uma série de motivos, desde traumas até apenas a personalidade da pessoa. Procure caminhos de tornar mais fácil que a pessoa se sinta confortável em ser ajudada:

  • Preparar uma refeição ou pedir um delivery para a pessoa pode ser mais efetivo do que só perguntar se ela está se alimentando. 
  • Se oferecer para dar uma varrida na casa da pessoa, lavar a louça ou consertar algo quebrado, pode ser mais significativo do que o famoso “se precisar de qualquer coisa…”.
  • A pessoa enlutada tem filhos ou alguém sob seus cuidados? Você pode se oferecer para ajudar no cuidado ou levar a algum compromisso, por exemplo.

Esteja presente, mesmo que em silêncio

Perdas, muitas vezes, são inesperadas e, como qualquer situação do tipo, é comum não saber lidar com os próprios sentimentos e muito menos com o dos outros.

Sendo assim, não fique desconfortável com o silêncio ou se sinta na obrigação de promover o diálogo. Valorize o desejo de te ter por perto e não force situações como sair, ouvir músicas, ver filmes, entre outras coisas que aparentemente podem parecer simples distrações.

Entenda que o luto precisa ser vivido e que cada pessoa lida com ele de forma diferente. Algumas pessoas precisam mais do que outras de vocalizar seus sentimentos. Respeite o espaço do próximo e se coloque à disposição na medida em que ele se sentir confortável.

Como confortar alguém de luto: não apresse o luto alheio

Quando o assunto é como prestar apoio para alguém que está de luto, é muito comum ouvir pessoas falando “já faz 1 ano desde a morte de fulano e a filha ainda não se recuperou!”.

Por mais que dita com boa vontade e desejo de recuperação, não se esqueça que cada pessoa lida com a perda de uma forma específica e que o luto não tem data de validade.

Em entrevista ao médico Dráuzio Varella, a psicóloga Juliana Batista, do Hospital do Coração de São Paulo, afirma que todo processo de luto tem um início, meio e fim. Porém, não é possível prever quando ele de fato termina.

Por isso, tome cuidado também em casos de pessoas que se recuperaram em um tempo inferior ao imaginado. “Nossa, mas fulana já está viajando, não faz nem um mês que o primo dela faleceu!”.

Ao compreender que cada pessoa é única e que os processos de cura também são singulares, tenha certeza que você ajudará muito na recuperação dela.

Como confortar alguém de luto – Considerações finais

Esperamos que você tenha gostado deste nosso artigo sobre como confortar alguém de luto. Ele foi produzido com todo o carinho e respeito pela equipe do Grupo Zelo, o maior grupo de assistência e planos funerários do Brasil.

Para conhecer mais sobre a gente e ficar por dentro dos nossos conteúdos, siga nosso conteúdo no Facebook e Instagram.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima