Poesia Sobre Luto e Perda: 6 Poemas Para Ler e Refletir

poesia sobre luto

Aqui no Blog do Grupo Zelo, falamos bastante sobre luto e, inclusive, temos uma categoria dedicada ao tema. Acreditamos que conversar sobre o luto, a perda, a saudade é, também, uma maneira de aprendermos a viver melhor uma dor tão difícil de explicar.

E uma das maneiras que buscamos falar sobre o tema é por meio das artes! Já falamos sobre livros (adultos e infantis) que abordam o tema; das músicas sobre o luto; e, claro, dos filmes e séries. Hoje, falamos sobre uma das maneiras mais antigas de expressar sentimentos e sensações: a poesia.

No artigo abaixo trazemos para você, amigo leitor, 6 poemas sobre o luto, alguns completos e outros em trechos.

Ah! Os salmos bíblicos, que também são uma forma de escrita poética, já foram abordados em outro artigo aqui linkado!

6 poemas sobre o luto

Vamos lá? Para essa pequena lista de poemas sobre luto, perda, saudade e, de um jeito ou de outro, a morte, selecionamos poemas escritos originalmente em língua portuguesa, à exceção do último, que é um curto poema japonês, que trazemos na tradução para português de Carlos Rodrigues Brandão. Boa leitura!

1. A morte chega cedo, Fernando Pessoa

A morte chega cedo,

Pois breve é toda vida

O instante é o arremedo

De uma coisa perdida.

O amor foi começado,

O ideal não acabou,

E quem tenha alcançado

Não sabe o que alcançou.

E a tudo isto a morte

Risca por não estar certo

No caderno da sorte

Que Deus deixou aberto.

2. Canção Póstuma, Cecília Meireles

Fiz uma canção para dar-te;

porém tu já estavas morrendo.

A Morte é um poderoso vento.

E é um suspiro tão tímido, a Arte…

É um suspiro tímido e breve

como o da respiração diária.

Choro de pomba. E a Morte é uma águia

cujo grito ninguém descreve.

Vim cantar-te a canção do mundo,

mas estás de ouvidos fechados

para os meus lábios inexatos,

— atento a um canto mais profundo.

3. A um ausente, Carlos Drummond de Andrade

Antecipaste a hora.

Teu ponteiro enlouqueceu, enlouquecendo nossas horas.

Que poderias ter feito de mais grave

do que o ato sem continuação, o ato em si,

o ato que não ousamos nem sabemos ousar,

porque depois dele não há nada?

Tenho razão para sentir saudade de ti,

de nossa convivência em falas camaradas,

simples apertar de mãos, nem isso, voz

modulando sílabas conhecidas e banais

que eram sempre certeza e segurança.

4. Quem Morre?, Martha Medeiros

Morre lentamente

Quem se transforma em escravo do hábito

Repetindo todos os dias os mesmos trajeto,

Quem não muda de marca,

Não se arrisca a vestir uma nova cor ou 

Não conversa com quem não conhece.

5. Prece, Fernando Pessoa

Senhor, que és o céu e a terra, que és a vida e a morte! O sol és tu e a lua és tu e o vento és tu! Tu és os nossos corpos e as nossas almas e o nosso amor és tu também. Onde nada está tu habitas e onde tudo está – (o teu templo) – eis o teu corpo.

Dá-me alma para te servir e alma para te amar. Dá-me vista para te ver sempre no céu e na terra, ouvidos para te ouvir no vento e no mar, e mãos para trabalhar em teu nome.

Torna-me puro como a água e alto como o céu. Que não haja lama nas estradas dos meus pensamentos nem folhas mortas nas lagoas dos meus propósitos. Faze com que eu saiba amar os outros como irmãos e servir-te como a um pai.

6. Sem título, Yamazaki Sokan (tradução de Carlos Rodrigues Brandão)

Se alguém perguntar

aonde foi Sokan

diga apenas:

“Tinha coisas a fazer

no outro mundo”.

Esperamos que tenha gostado de nossa pequena lista de poemas sobre luto, e que tenha sido uma leitura, mesmo que difícil em alguns momentos, de acalento em outros. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima